Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Patrono do 1º BPM

Coronel Aparício Borges
Coronel Aparício Borges

Coronel Aparício Gonçalves Borges - Patrono do 1ºBatalhão de Polícia Militar

Na história de Porto Alegre e na história do Rio Grande do Sul, destaca-se em alto relevo, a figura imponente e majestosa do Coronel Aparício Gonçalves Borges, que em 27 de julho de 1932, tombou no campo de honra de Buri no estado de São Paulo.

Natural de Restinga Seca, então distrito de Cachoeira, onde nasceu em 26/8/1893, era filho natural do Cel. Horácio Gonçalves Borges, que foi intendente de Cachoeira e também denomina rua na cidade.

Aparício Borges faleceu em combate no dia 27/7/1932 e deixou seis filhos, já órfãos da mãe Antonieta: Arthur, Geraldo, Horácio, Horalda, Norma e Regina.

Ingressou na Brigada Militar em 1911. Em 1913 já era alferes. De 1916 a 1918, comandou o piquete da Chefatura de Polícia, em Porto Alegre. Durante a Revolução de 1923, no 1º Regimento de Cavalaria, lutou contra os revolucionários, sendo promovido a tenente pela bravura demonstrada. Em 1924, seguiu para São Paulo em combate, recebendo promoção a capitão. Nos anos que se seguiram, foi designado para comandar o 1º Batalhão de Infantaria da Brigada Militar, para adjunto da Assistência do Material e para organizar o 3º Batalhão de Infantaria da Reserva.

Morto no combate de Buri, em São Paulo, durante a Revolução de 1932, recebeu honras militares

Brigada Militar